Tributário


7 pontos da declaração de Imposto de Renda para Dentistas

Você dentista, está em dúvida de quais pontos ficar atento ao declarar o seu imposto de renda? Entenda o que é preciso levar em consideração.

O Imposto de Renda é o terror para muita gente, seja pelo alto valor a ser pago, seja por medo de efetuar a declaração de forma errada. E esse temor é real, seja qual for seu ramo de atividade, pois cada um possui as suas particularidades e, neste artigo, vamos falar sobre o Imposto de Renda para os dentistas.

É preciso estar atento, pois mesmo que a declaração gaste tempo, o ideal é que se faça com muita cautela para evitar problemas futuros.

Tanto para quem trabalha como autônomo quanto para os que têm um consultório, é crucial ter atenção com as Notas Ficais e com os dados da declaração. Portanto, veja a seguir quais os cuidados que o dentista precisa tomar na hora de fazer a sua.

Principais cuidados

1. Rendimentos

É preciso informar todos os rendimentos de forma correta, pois qualquer omissão pode trazer dores de cabeça futuramente.

Isso acontece quando o dentista esquece, por exemplo, de declarar algum trabalho feito como autônomo. Já que a falta de todas os dados pode ser vista como sonegação e trazer muitos transtornos.

2. Colocar todos os dados de forma correta

A tecnologia trouxe vários benefícios e, atualmente, as pessoas têm utilizado os smartphones para fazer quase tudo. Mas é preciso estar atento na hora de fazer a declaração do Imposto de Renda, pois as chances de errar na hora de digitar algum dado são grandes.

3. Informe os rendimentos dos dependentes

Com a correria do dia a dia em um consultório, pode acontecer alguns deslizes na hora de efetuar a declaração. Sendo assim, procure informar todos os rendimentos dos seus dependentes.

4. Informe os salários

Caso você possua funcionários, informe os salários e todos os demais gastos que possua para manter sua equipe. Ou seja, preencha em seu livro caixa tudo que seja relativo a gastos com colaboradores além das receitas e despesas da clínica.

5. Informe os rendimentos de Pessoa Física

Os seus pacientes poderão declarar em seus impostos os seus serviços. Dessa forma, é importante que você indique esses rendimentos em sua declaração e informe o CPF desses clientes.

6. Informe os rendimentos isentos

Tudo que for referente às participações ou distribuições de lucros da sua clínica, caso sua clínica possua CNPJ. Assim, o governo tem noção de como o dinheiro é dividido e pode rastreá-lo sem dificuldades.

7. Informe os bens

O dentista não pode se esquecer de informar os seus bens, tais como veículos, aplicações, imóveis, além de cotas do consultório, caso você seja sócio.

Conclusão

Como é possível perceber, o Imposto de Renda para dentistas exige muita organização, além de precisar que o profissional possua um bom conhecimento na hora de preencher a declaração.

O ideal é que todos os dados fiquem organizados desde o início do ano de trabalho, pois isso vai evitar complicações na hora do preenchimento. Uma boa dica é manter um livro-caixa sempre atualizado e todos os recebimentos por CPF já contabilizados.

Dessa forma, a declaração do Imposto de Renda será feita com mais tranquilidade e dentro do prazo.

É importante inserir no livro-caixa, todas as informações sobre gastos e despesas para que a clínica odontológica fique funcionando. Isso inclui aluguel, contas a pagar, salários dos colaboradores entre outros.

Para saber mais sobre como podemos te ajudar, entre em contato conosco.


Leia também: Como escolher o melhor regime tributário para as clínicas odontológicas?

Resumindo

O que não esquecer no Imposto de Renda?

  • Rendimentos;
  • Colocar TODOS os dados;
  • Informe de rendimento de dependentes;
  • Salários;
  • Rendimentos Isentos;
  • Bens e Patrimônio.

É preciso declarar poupança no IR?

Sim! Inclusive, por via das dúvidas é bom declarar TODOS os investimentos, principalmente as Ações!

Qual a diferença de IR para Dentistas?

Cada Classe tem sua especificidade. No caso dos dentistas é de extrema importância lançar TODOS os CPFs dos pacientes tratados no último ano. Tendo em vista que eles podem lançar também e a Receita cruzará esses dados.

Sobre a Autora:

Adriana FrançaAdriana França

Sócia fundadora da ContaDr. e Especialista em Contabilidade para Profissionais da Área da Saúde

Linkedin contato@contadr.com.br

Contabilidade para Médicos e Dentistas

Outras publicações

Abaixo estão algumas publicações que podem te interessar

Enviar
1
💬 Precisa de Ajuda?
Olá 👋
Quero ser Cliente ContaDr.!